Get Adobe Flash player

UM EXEMPLO DE PLANO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL
Pe. Antônio de Lima Brito nds

CONGREGAÇÃO RELIGIOSA DAS IRMÃS Y PROVÍNCIA DO BRASIL

  1. I - NOÇÕES
    1 - Plano. A conquista de um objetivo requer inúmeras condições. Entre elas, o plano é uma das maiores. Por que ? Porque ele é um projeto que contém todas as exigências impostas pelo objetivo. Planejar é, pois, satisfazer ao imperativo daquilo que se pretende. O plano é a bússola que indica o caminho da consecução do objetivo proposto. Ele indica a maneira como fazer o melhor com menos. Organiza a ordem das providências a serem tomadas.

    2 - Animação Vocacional é uma ação que objetiva conscientizar, sobretudo os católicos, a respeito de seu estado de vida e de serviço na Igreja, Povo de Deus. Ela visa fazer com que eles descubram que a vida cristã é uma vocação à santidade, expressa, em especial, pelo exercício da vocação específica.

    II - OBJETIVO
    1 - Geral. Objetiva-se, com esse plano, participar da missão da Igreja, quanto ao seu dever de promover todas as vocações. Ser Igreja na Animação vocacional.

    2 - Específico. Promover todas as vocações, priorizando o Carisma da Congregação Y.

    3 - Imediato. O plano pretende despertar, em 3 anos, 90 vocacionadas para o acompanhamento e o ingresso de 18 aspirantes.

    III - DURAÇÃO DO PLANO: 3 anos (2 de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016).

    IV - ETAPAS DE IMPLEMENTAÇÃO

    1 - Primeiro ano: 30 vocacionadas para acompanhamento e 6 ingressos.
    2 - Segundo ano: 30 vocacionadas para acompanhamento e 6 ingressos.
    3 - Terceiro ano: 30 vocacionadas para acompanhamento e 6 ingressos.

    V - Manutenção do Fichário. Após 3 anos, com despertar e seleção, manter o fichário de acompanhamento com 90 candidatas, se houver interesse em ingresso anual em torno de 18 jovens.

    AGENTES
     1 - Todas as Religiosas. Em virtude da pertença à Congregação, todas as religiosas da Província devem e podem, segundo suas condições de idade, saúde e formação, participar na implementação do Projeto Provincial de Animação Vocacional.

     2 - Equipe. Ela terá a tarefa de providenciar a devida formação de seus membros e colaboradores, estruturação, animação e coordenação dos trabalhos. A ela é atribuída a maior responsabilidade pelo setor. Para tanto, caso necessário, recorrer às instituições competentes nesse tipo de pastoral.

     3 - Aspirantes, Pré-noviças, Noviças. Todas as jovens internas que pretendem professar na Congregação têm muito a dar. São, em geral, animadas, criativas, alegres. Com elã juvenil, são moças portadoras de muito ideal. Quando bem trabalhadas, são verdadeiras Animadoras Vocacionais.

     4 - Ministros Ordenados. Haverá um esforço, por parte de toda a Província, para atrair a colaboração de ministros ordenados (Diáconos, padres e bispos).

     5 - Leigos Associados. Envolver todos os leigos ligados à Congregação, por meio de associação.

     6 - Internas (havendo internato-hospedagem).A Equipe de Animação Vocacional deverá aproveitar, corajosamente, os dons das internas, em favor das vocações.

     7 - Funcionários (professores, secretários, serventes etc).Motivados e bem orientados, todos os funcionários poderão dar uma grande contribuição à Pastoral Vocacional da Província. É de se esperar daí maravilhas.

     8 - Parentes. As famílias das religiosas são fontes de riqueza. A equipe precisa se empenhar para explorá-las. Há, nestas famílias, muitos dons que podem facilitar a implementação do plano.

     9 - Alunos. As crianças, adolescentes e jovens, bem motivados, poderão ser agentes vocacionais importantes. É necessário, para tanto, criar caminhos.

    10 - Pais de Alunos (APM). Se a equipe for aos pais dos alunos com uma proposta concreta e bem apresentada, haverá muitas adesões. Recursos humanos e materiais hão de vir.

    11 - Leigos Amigos e Conhecidos. É comum as irmãs conhecerem leigos (amigos ou simplesmente conhecidos) que podem, de certa maneira, contribuir para o bem das vocações. É ir a eles e convidá-los a tomarem parte na pastoral.

    VI - DESPERTAR
    1 - Noção. Despertar significa acordar o indivíduo e comunidade, para a problemática vocacional. Alertá-los quanto à necessidade da descoberta e ocupação do lugar de serviço na Igreja e sociedade.Todos são, pois, chamados a um estado de vida e de comunicação de seus dons. Despertar é, então, uma mobilização para audição deste chamado realizador de Deus. Despertar é ajudar, sobretudo, a juventude a ouvir e responder generosamente à convocação amorosa do Pai.

    2 - Objetivos
    a - Suscitar na pessoa o interesse por uma caminhada vocacional, em vista de um discernimento criterioso.
    b - Sensibilizar a família e comunidade concernente à sua corresponsabilidade face à realização vocacional de seus membros.
    c - Criar e /ou desenvolver, na comunidade e família, um clima favorável à descoberta, cultivo e decisão vocacionais.

    3 - Estratégias

    a – Comportamento da Animadora Vocacional
     1 - Irradiar ao público a alegria própria de quem se acha em processo de realização, no estado vocacional em que se encontra.
     2 - Manifestar identificação com o povo, naquilo que ele tem de bom, em seus valores edificantes.
     3 - Ser solidária com os tristes e alegres, com os sofredores e felizes. Ser uma boa irmã. Interessar-se por todos.
     4 - Preferir ouvir a falar. Quem ouve muito quase sempre erra menos e acerta mais; quem fala muito em geral erra mais e acerta menos.
     5 - Evitar posições partidárias, antagônicas, nos primeiros contatos, para não ensejar resistência ao apelo vocacional.
     6 - Fugir das discussões que não criam laços, afinidades, não aproximam, não abrem espaços à Animação Vocacional.
     7 - Conquistar a simpatia das pessoas, sobretudo, daquelas que são revestidas de autoridade e/ou influência (párocos, diretores de escola, coordenadores de pastorais e movimentos de Igreja, responsáveis por meios de comunicação etc).
     8 - Nunca agir sem a devida autorização das pessoas de direito. Mesmo que se trate de grande amizade, é muito arriscado supor autorização. Presumir, portanto, consentimento não é prudente, na maioria dos casos. A autoridade gosta de ser consultada quase sempre.
     9 - Ser educada, simples, limpa, elegante, alegre, bem humorada, otimista, paciente, acolhedora, generosa.
    10 - Comunicadora, linguagem simples, clara, objetiva, decente. Jamais apelar para vocabulário chulo.

    b - Atividades Estratégicas

     1 - Criar e preparar as equipes vocacionais paroquiais.
     2 - Criar e preparar equipes nos colégios da Província.
     3 - Encontro com os educadores de escolas públicas.
     4 - Encontro com os coordenadores de pastorais.
     5 - Encontros vocacionais com os jovens (homens e mulheres).
     6 - Encontros vocacionais só com as jovens
     7 -rabalho com os estudantes, nas escolas.
     8 - Curso de orientação para os pais.
     9 - Exposição vocacional.
    10 - Festival de música vocacional.
    11 - Feira Vocacional.
    12 - Equipe de teatro vocacional
    13 - Painéis
    14 - Jogral
    15 - Serviço de orientação vocacional (SOV).
    16 - Dia vocacional
    17 - Tríduo vocacional
    18 - Semana vocacional
    19 - Mês vocacional
    20 - Ano Vocacional
    21 - Visita às famílias
    22 - Celebrações vocacionais (missa, hora santa, novena, paraliturgia).
    23 - Curso por correspondência.
    24 - Retiro Vocacional.
    25 - Gincana vocacional
    26 - Caminhada vocacional.
    27 - Capelinha vocacional ( visita da imagem de N.Senhora).
    28 - Terço vocacional.
    29 - Visita vocacional solidária a instituições e regiões carentes.
    30 - Visita a comunidades e obras da Congregação.
    31 - Ave Maria Vocacional.
    32 - Concurso de Redação Vocacional (Tema dado) online, cidade, paróquia etc.
    33 - Formação de comunidades vocacionais online.

    c - Meios de Comunicação e Propaganda
    1 - Propaganda impressa (Revista, jornal, boletim, folheto, santinho etc)
    2 - Correio (correspondência, mala-direta).
    3 - Telemarketing (Animação pelo telefone).
    4 - CD, DVD.
    5 - Rádio, TV.
    6 - E-mail.
    7 - Site sempre atualizado.

    D - Público destinatário: Preferencialmente público feminino de faixa etária de 14 a 24 anos.

 

   Historia e Carisma de Sion   

 


 

     

 


 

INFORMAÇÕES


Endereço:

Rua Lino Coutinho, 436, Ipiranga 

São Paulo - SP - Cep: 04207-000

 

Fone:

(11) 2619-9314

(11) 97337-7605

E-mail:

cenfavos@cenfavos.org.br

anlibri@bol.com.br

 

 

NOSSA LOCALIZAÇÃO