Get Adobe Flash player

FÉ E RELIGIÃO
Pe. Antônio de Lima Brito nds

Fé é adesão à pessoa e palavra de Deus. Ter fé é fazer própria a vontade da Trindade. É ser obediente a Ela. É fiel quem orienta a vida com a palavra divina. Quem a tem como absoluta e eterna.

Fé cristã é anuência a Jesus e ao seu evangelho; é a virtude que torna o fiel discípulo de Cristo (1). O Filho de Deus apresenta-se como Mestre (2), “caminho, verdade e vida” (3) e, como tal, é encarado pelos fiéis. Acreditar é, então, tornar-se seguidor do Nazareno.

Ainda que ridicularizado pelos infiéis, Noé construiu sua arca, à espera do dilúvio (4). A confiança em Deus tirou Abraão de Hur e o conduziu à Terra Prometida. Fez dele o pai dos fiéis (5). Acreditando em Javé, Moisés preferiu a libertação de seu povo às mordomias da casa da filha de faraó (6). Mesmo sem entender o anúncio do anjo, Maria aceitou ser mãe do Salvador. A Bíblia e a história dos santos mostram a que nível de grandeza a fé levou muitos fiéis (7).

Crer supõe ética e moral (8). Verdade, justiça e bem compõem a natureza da promessa de Deus, acolhida pelo crente (9). Acreditar é, comprometer-se com esses três valores, atributos do Divino; é aceitar o convite a ser gente, santo (10). Não é possível, por conseguinte, ter Deus como verdade e não viver segundo ela. “O justo vive da fé” e quem a pratica é (11). Quem não é não tem fé (12). Talvez, tenha religião.

Religião é o que liga a pessoa a Deus, quando expressão coerente da fé. No caso de incoerência, não une coisa nenhuma. Isso ocorre, sempre que os atos religiosos não condizem com as exigências da fé, desprovidos de bem, de pureza de coração. Eles não passam de gestos vazios, inócuos, supersticiosos. Certas atitudes religiosas chegam a ser tentativas de manipulação da Divindade, engodo contra si mesmo e o povo. Coisa semelhante é afirmar ser cristão e não amar. A título de ilustração:
Economia. Pafúncio é comerciante. Preocupado com o baixo lucro do amigo, Onagne lhe sugere fraudar o peso, vendendo 900 gramas como um quilo. O negociante rejeita a proposta, dizendo: “Sou católico, discípulo de Jesus. Minha fé não me permite ser desonesto.” Onegne retruca: “Eu também sou batizado.”

Perdão. Mariquinha, catequista, fugiu com o esposo de sua grande amiga. Arrependida, a traidora pediu perdão à Zizica. Não obstante ser de missa dominical, a traída negou o perdão.
Gravidez. Teteca tem uma bela e única filha, Nina. Aos quinze anos, a garota engravida. Transtornada com a aflição da mãe, a vizinha, leitora assídua da bíblia e membro da equipe litúrgica de sua paróquia, sugere-lhe o aborto como saída. Exaltada com a atitude da proponente, Teteca rechaçatal proposta, declarando ser cristã.

Futebol. Feliato é jovem de Igreja e torcedor do Céu Azul Futebol Clube. O rapaz estava muito ansioso para assistir à partida final do campeonato, que classificaria seu time como campeão ou vice. Minutos antes, porém, do início da competição, um simpatizante do clube adversário desmaiou ao seu lado. Sem hesitação, levou o enfermo ao hospital. Permaneceu com ele três horas, a fim de lhe garantir o devido atendimento.

Política. Ariodato desejava muito ser prefeito de sua cidade. Com ajuda de amigos, lançou-se candidato. Seu adversário era politicamente mais forte e “tarimbado”. Ameaçado pela derrota iminente, o aspirante foi aconselhado a recorrer à astúcia da difamação e calúnia. Em troco, afirmou: ”Em nome de minha fé, prefiro a vitória ética e moral a ser prefeito dessa maneira.”.


Os casos relatados permitem a identificação de quem tem fé e religião e de quem tem apenas religião. A fé está sempre na linha do fazer o bem. Ter fé é ser ético e moral. É possível alguém ter apenas fé; todavia, o mais comum é ter fé e expressá-la também pela prática religiosa. Afere-se a fé e a religião pela prática do bem, da verdade, da justiça. A vida social pautada nestes valores será fraterna e solidária. Sendo a fé a virtude alavancadora da sociedade tão desejada, diz a carta aos Hebreus: “Sem fé é impossível agradar a Deus. ”Ao que crê tudo é possível” (14).


_______________________________________________________________________________________
(1) Cf. Jo 15,8-14; 13, 34-35; Mt 10, 24-25; (2) Cf. Jo 13, 12-15; (3) Cf Jo 14,6; (4) Cf.Gn 6,9-6,5;Hb 11,7; (5) Cf. Gn 12,1-9;Hb 11,8-12; (6) Cf. Ex 2,1-3,22; Hb 11,23-29; (7) Cf. Hb 11,1-40; (8) Cf. Mt 7,21-27; (9) Cf Rm 8,28-30; (10) Cf Mt 5,48; (11) Rm 1,17; (12) Cf. Mt 23,27-28; (13) Hb 11,6; (14) Mc 9, 23.



 

   Historia e Carisma de Sion   

 


 

     

 


 

INFORMAÇÕES


Endereço:

Rua Lino Coutinho, 436, Ipiranga 

São Paulo - SP - Cep: 04207-000

 

Fone:

(11) 2619-9314

(11) 97337-7605

E-mail:

cenfavos@cenfavos.org.br

anlibri@bol.com.br

 

 

NOSSA LOCALIZAÇÃO